Lages recebe campeonato de tiro esportivo

Lages recebe, neste fim de semana, etapa final Campeonato Regional CBC Taurus de Tiro Esportivo. A competição ocorre no Clube Caça e Tiro e reúne competidores de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. São cerca de 1,1 mil inscritos em 16 modalidades diferentes, entre tiro de precisão com armas curtas e longas, além de tiro ao prato e com carabina de ar.

A competição começou na sexta-feira (25) e segue até este domingo. Cada atirador dispara mais de 100 vezes. Ganha quem for mais rápido e der tiros mais precisos. Para a acertar o alvo, é preciso ter muita concentração, controle emocional, habilidade e, é claro, ser bom na mira.

Koiti Sandro Hiura, membro da comissão organizadora do torneio, destaca a importância do evento. Conforme ele, além de promover instantes de lazer e a integração dos participantes, a competição movimenta a economia de Lages, uma vez que os visitantes gastam em hotéis e restaurantes do município, por exemplo.

O empresário Rafael Donatti, de 35 anos, e a nutricionista Karina Kunz vieram de Francisco Beltrão, no Paraná, para participar do campeonato. O casal conta que viajou cerca de 450 quilômetros até Lages e aprovou a estrutura encontrada na cidade. Ambos integraram o Clube Magnum, de Francisco Beltrão. Ele pratica o tiro esportivo há cinco anos, já ela começou a atirar há cerca de dois anos.

Crescimento

O Campeonato Regional nasceu em 2004 por iniciativa dos atletas Ciro José Porto e Carlos Alberto Barros, representando a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC). A princípio, a ideia era promover um campeonato interclubes de natureza amadora, voltado à inclusão de novos atletas e divulgação do esporte, contando com a participação de poucos clubes.

Com o passar dos anos, a competição se consolidou como o maior evento do gênero do Brasil. Atualmente, é considerado o maior torneio de tiro do Brasil. Neste ano de 2019, foram aproximadamente 140 clubes presentes em seis estados (além do PR, SC e RS, conta com a participação de atiradores de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro), totalizando mais de 56.464 inscrições e 15.500 participantes. Nesta temporada, serão distribuídas 5.400 medalhas e uma premiação total de mais de R$ 1.200.000, contemplando 48 armas destinadas a sorteio e 440 troféus.

Apesar de ainda estar em crescimento, o tiro esportivo possui tradição no país e rendeu a primeira medalha olímpica para o Brasil. Em 1920, o tenente Guilherme Paraense conquistou a primeira medalha de ouro em Jogos Olímpicos. A conquista ocorreu na Antuérpia, na modalidade “Tiro de revólver”.

Fonte: clmais.com.br

Compartilhar